Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2014

Tentativa

Ladeado de sombras vivem os meus supostos poemas. Por vezes, me causam assombro outras tantas dão muita pena. Não sei mensurar esse abandono, uma busca interna na indiferença, uma luz difusa por entre as janelas, flashes de sonhos construídos a duras penas. E assim, permito ocultar-me, espio, mas não abre a porta da sentinela.
Numa enxurrada de letras, frases sem efeito, pontuação sem contexto, sepultam no meu peito meus supostos poemas.

A versão ou mama

Imagem
Alimento-me de sua impaciência,
não dá para ser complacente
permito-me ser consciênte.
Afinal, não há nada tão indecênte
quanto o sorriso fosco
que se insinua a cada canteiro
que atravessa o meu passeio
quando inadivertidamente
encontro um pedinte 
honeroso, suposto honroso
prometer-me os louros
que um votinho traz.
Aliás, cada rostinho fake
esconde um mostrinho 
que deseja mamar no cofrinho
do dinheiro do povinho.